°C °C
Publicidade

Justiça compartilha autos da operação "Terra Nostra", com a Câmara

Recusa de Gustavo no recebimento da intimação da CIP, denota que prefeito afastado, não aceita os fatos

09/05/2024 às 07h49 Atualizada em 09/05/2024 às 12h27
Por: Mauro Paes Corrêa
Compartilhe:
Foto: Arquivo/PMU/Ana Paula Nesi
Foto: Arquivo/PMU/Ana Paula Nesi

     O compartilhamento do processo da Operação "Terra Nostra", que instaurou uma CIP contra o prefeito afastado Luis Gustavo Cancellier (sem partido), teve novos capitulos. Como norma, Gustavo foi intimado nas dependências do presídio, onde se recusou a receber a notificação da comissão, e será notificado por edital, por duas vezes, no próximo dia sete e posteriormente, no dia treze.

      A recusa, indica dois sinais: a de que Cancellier está inclinado a defender o seu posto, e de sua alegação de inocência e ao mesmo tempo, que nutre esperanças para a volta a vida política. Inclusive, como noticiamos com exclusividade, nas semanas anteriores, Gustavo entrou com uma representação contra o PP local, pois a expulsão é inválida. Saiba mais, na nossa reportagem(clique aqui), onde entrevistamos a Dra. Maria Lucia Barreiros, da Peccinin & Alessi Advocacia, especialista em direito eleitoralista. 

Continua após a publicidade
Anúncio

      Além disso, a defesa está buscando os caminhos processuais possíveis, para possibilitar sua soltura e questionar a legitimidade da Operação "Terra Nostra". É importante lembrar que o processo contra o Presidente Lula (PT), foi invalidado justamente por erros processuais. É talvez, o caminho que a defesa de Luis Gustavo Cancellier (sem partido), poderá seguir. 

Continua após a publicidade
Anúncio

      Enquanto isso a cidade, espera o desenrolar dos fatos...